Terça-feira, 24 de Janeiro de 2012

 

1- Marx julgava que o desenvolvimento industrial associado às sociedades modernas traria as condições necessárias para o crescimento de uma enorme classe de trabalhadores que, com consciência de classe, conduziriam as sociedades ao socialismo (primeiro) e ao comunismo (depois). Este postulado não se verificou porque o que se sucedeu foi a criação de uma enorme classe média que ajudou a solidificar as democracias europeias e a exportação do modelo teórico e da sua delineação prática. A classe média entretanto criada, era obviamente parte interessada na manutenção do seu estatuto e interesses.
2- Num outro prisma, costuma-se dizer que sem classe média (ou pequena e média burguesia, se preferirem) não há democracia que resista.
3- Nos tempos que correm, a principal ideia que temos é que haverá uma diminuição brutal da classe média, um fenómeno não apenas associado ao aumento do custo de vida e à consequente diminuição do poder de compra, como também associado ao aumento do desemprego, à perda do sentimento de posse/propriedade e à cada vez mais desigual distribuição da riqueza produzida.
4- Ora, a questão que se coloca aqui é tentar perceber qual é o futuro da democracia (no caso ocidental, de uma democracia baseada em pressupostos constitucionais liberais) e em que moldes poderá ela sobreviver, ou não, se porventura a classe média deixar de ser maioritária graças à conjuntura que vivemos.



publicado por Bruno Miguel Macedo às 11:57 | link do post | comentar

Publius Cornelius Tacitus
To ravage, to slaughter, to usurp under false titles, they call empire; and where they made a desert, they call it peace.
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

A síndrome socialista

Soltar os cães

Um argumento

Regressando

Um papel

A cartilha

Prometeu

Um ou dois milagres

Uma nomeação

Cresçam

arquivos

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Setembro 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

tags

anáfora

antonomásia

benevolentes

blanchett

bloco

cate

charme

dench

djisselbloem

eufemismo

eurogrupo

guerra

gwyneth

helen

jonathan

judi

littell

metáfora

mirren

paltrow

perífrase

porto

prosopeia

renda

sela

socialismo

twitter

ward

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds