Segunda-feira, 14 de Dezembro de 2015

socrates.jpgA criatura volta hoje ao horário nobre para contar a sua narrativa. Sócrates vai, portanto, ao ambiente que melhor conhece e domina porque foi a televisão que, primeiro, o criou e, depois, o matou. É com essa esperança que ele sonha renascer.
É provável que vá lá transmitir a ideia de um acossado de ar muito sério, perseguido por motivações políticas e enchido de teorias conspiratórias, de coincidências diversas e de fábulas de encantar. E é provável também que o público, em casa, se divida, e se emocione ou se insurja conforme a bílis ou a disposição. Eu já não estou nem aí, como diria o brasileiro. Há muito que percebi que isto não vai dar nada e que as suspeitas não deixarão de ser isso mesmo: suspeitas que se lavarão com o sacudir de responsabilidades ou com mentiras vestidas de verdades. Neste país, raramente um princípio tem um fim.
Sócrates vai hoje ao horário nobre. Não há como condená-lo por isso. Ele usa o que tem. Não é culpa dele.



publicado por Bruno Miguel Macedo às 16:57 | link do post | comentar

Publius Cornelius Tacitus
To ravage, to slaughter, to usurp under false titles, they call empire; and where they made a desert, they call it peace.
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

A síndrome socialista

Soltar os cães

Um argumento

Regressando

Um papel

A cartilha

Prometeu

Um ou dois milagres

Uma nomeação

Cresçam

arquivos

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Setembro 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

tags

anáfora

antonomásia

benevolentes

blanchett

bloco

cate

charme

dench

djisselbloem

eufemismo

eurogrupo

guerra

gwyneth

helen

jonathan

judi

littell

metáfora

mirren

paltrow

perífrase

porto

prosopeia

renda

sela

socialismo

twitter

ward

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds