Quinta-feira, 16 de Junho de 2011

Para que se entenda as consequências da revolução biotecnológica à solta nos complexos laboratórios construídos em nome do conhecimento e do desenvolvimento científico. Num tempo em que só as boas intenções vêm ao de cima, num tempo em que apenas as milagrosas possibilidades são reveladas, há fronteiras que convém com urgência definir. E convém definir para que não se entre num evidente vazio legislativo ou numa terra de ninguém, em que tudo será permitido em nome da ciência, da ambição dos homens ou do saco sem fundo dos que procuram a imortalidade do corpo e não da alma.

Brincar aos deuses nos laboratórios não é um sonho de agora. Mas é assim que tudo parece agora recomeçar: primeiro um simples gene, depois a simples erradicação de uma doença, depois a selecção do sexo, depois a cor do cabelo e quando dermos por nós, já teremos bebés inteiramente desenhados por encomenda.

Este livrinho, polémico como poucos, mas extraordinariamente simples na argumentação e pontos de vista, é escrito por um dos grandes pensadores da actualidade. Já com alguns anos, não muitos, uma leitura inteira de tirar o fôlego e de nos deixar extasiados.



publicado por Bruno Miguel Macedo às 16:28 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Publius Cornelius Tacitus
To ravage, to slaughter, to usurp under false titles, they call empire; and where they made a desert, they call it peace.
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Os incêndios que matam pe...

A síndrome socialista

Soltar os cães

Um argumento

Regressando

Um papel

A cartilha

Prometeu

Um ou dois milagres

Uma nomeação

arquivos

Outubro 2017

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Setembro 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

tags

anáfora

antonomásia

benevolentes

blanchett

bloco

cate

charme

dench

djisselbloem

eufemismo

eurogrupo

guerra

gwyneth

helen

jonathan

judi

littell

metáfora

mirren

paltrow

perífrase

porto

prosopeia

renda

sela

socialismo

twitter

ward

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds