Quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

 

O Dr. Paulo Campos, outrora secretário de Estado, foi a uma comissão negar o que toda a gente sabe e conhece e comprovar que o socialismo tem um problema qualquer com a realidade. Num outro prisma, o PS do Dr. Seguro, inefável na sua corrida rumo à sua própria obliteração, descobriu uma qualquer ilegalidade no orçamento por faltar um documento que tem que ver com as grandes opções do Plano, mas deixou uma decisão sobre o mesmo (o Orçamento) para o próximo dia 11, altura em que o mesmo Dr. Seguro pretende reunir os amigos e apaniguados, numa comissão política, para decidir acompanhado aquilo que ele, pelos vistos, ainda não conseguiu analisar sozinho. Entretanto o Dr. Portas esteve momentaneamente em Portugal para, numa comissão, cumprimentar efusivamente o Sr. José Manuel Rodrigues, líder regional do seu partido na Madeira e participar numa farsa combinada entre eles que metia inclusive uma espécie de "confronto". A coisa não se fica por aqui, porque ainda falta o Dr. Louçã que mantém elevada a bitola populista que o caracteriza e que não se cansa de ameaçar com a luta contra o governo e as suas medidas e de bradar contra o capitalismo que, curiosamente, o sustenta e o eleva. Mais para o fim do dia ficou reservado o melhor, já que o Conselho de Estado (um importante órgão consultivo, dizem) se reuniu para apelar, depois de seis intensas horas, a um “diálogo construtivo” (?!) entre os portugueses e as suas instituições. A vida, para os restantes e não envolvidos nestes e noutros assuntos, deve seguir dentro de momentos. Mas convém não esperar nenhuma aberta pela manhã e, pelos vistos como promete a meteorologia, nem para o fim da tarde. O país está debaixo de temporal. Com a Europa solenemente parada e à beira do caos (a nossa única e talvez verdadeira esperança), nada como viver habitualmente. O último que feche a porta. Devagar, por favor.



publicado por Bruno Miguel Macedo às 10:53 | link do post | comentar

2 comentários:
De stipe07 a 26 de Outubro de 2011 às 12:53
Excelente artigo de opinião do qual destaco o trecho desde a citação ao conselho de estado até ao final! E parabéns pelo destaque. :)


De Bruno Miguel Macedo a 26 de Outubro de 2011 às 17:52
Obrigado pelo seu comentário. Felicidades também para si e para o seu blogue.


Comentar post

Publius Cornelius Tacitus
To ravage, to slaughter, to usurp under false titles, they call empire; and where they made a desert, they call it peace.
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Os incêndios que matam pe...

A síndrome socialista

Soltar os cães

Um argumento

Regressando

Um papel

A cartilha

Prometeu

Um ou dois milagres

Uma nomeação

arquivos

Outubro 2017

Junho 2017

Março 2017

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2015

Abril 2015

Setembro 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

tags

anáfora

antonomásia

benevolentes

blanchett

bloco

cate

charme

dench

djisselbloem

eufemismo

eurogrupo

guerra

gwyneth

helen

jonathan

judi

littell

metáfora

mirren

paltrow

perífrase

porto

prosopeia

renda

sela

socialismo

twitter

ward

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds